Notas de imprensa:

Programa

 

     
 

 

   

02 maio

A Reforma e a História. Lutero: O reformador e a sua época.

Francisco Ribeiro da Silva - Univerdade do Porto

1. Lutero - um monge angustiado com a salvação eterna (sua e dos outros)
2. Porquê a Reforma?
2.1 O contexto histórico – o “outono da Idade Média” um tempo de transição para uma nova era com muitos incidentes históricos, uns felizes, outros infelizes. As perplexidades. O sentimento do pecado.
2.2 As propostas de Lutero para responder às angústias religiosas do seu tempo: A justificação pela fé. O sacerdócio. universal. A Bíblia – veículo e expressão da “mensagem” de Deus.
3. O debate sobre as causas que terão gerado a Reforma.

Texto de apoio

 

 

09 maio

A Reforma e a Teologia. Uma releitura de Lutero numa perspetiva ecuménica

José Eduardo Borges de Pinho - UCP Lisboa

1. O pensamento teológico de Lutero - Pressuspostos hermenêuticos e elementos inovadores.
2. Releitura ecuménica da Reforma luterana no diálogo teológico católico-luterano.
3. A Reforma luterana como interpelação, 50 anos depois do Concílio.

Texto de apoio

 

16 maio

A Reforma e a Política. O desenvolvimento
políticda Europa na sequência da Guerra dos
anos 30.

Helena Vilaça - Univ. Porto

1.A Reforma protestante vai ser determinante dos
desenvolvimentos políticos da Europa e respetiva geografi a.
A Guerra dos trinta anos é disso exemplo. A ênfase na
salvação pela fé de acordo com a decisão de cada um
constitui uma das raízes do individualismo contemporâneo
com consequências para o constitucionalismo e a democracia
liberais, hoje assente numa consciência que deixou de ter
como fundamento a Bíblia e mais genericamente a religião.
Nessa medida, a Reforma
Protestante terá como efeito (perverso) a secularização da
vida social.

Texto de apoio

   

   
© Fundação Spes | 2007 | Site optimizado para Internet Explorer 6.0
   
FUNDAÇÃO SPES
Criada por Dom António Ferreira Gomes, Bispo do Porto
Inst. de Utilidade Pública, DR, 2º série - n.º 128 - 6 de Julho de 2009